Home > DOCES E SALGADOS > Putin defende reestatização da Yukos e legalidade da operação

DOCES E SALGADOS

23/12/2004 18:14 por Redação

Putin defende reestatização da Yukos e legalidade da operação

A petroleira estatal Rosneft tornou-se proprietária da principal unidade da empresa O presidente russo, Vladimir Putin, justificou nesta quinta-feira, em Moscou, a reestatização dos principais ativos da petroleira Yukos e argumentou que o Estado "usou mecanismos de mercado legais" para proteger seus interesses.

A petroleira estatal Rosneft tornou-se proprietária da principal unidade da Yukos, Yuganskneftegaz, ao comprar 100% das ações da Baikalfinansgrup, empresa misteriosa que no domingo adquiriu a filial em leilão. Esta é a primeira reestatização na Rússia pós-soviética e representa o mais recente episódio da saga da Yukos.

"O Estado utilizou mecanismos legais de mercado para defender seus interesses", disse Putin hoje, durante uma entrevista coletiva no Kremlin. "A compra pela Rosneft, companhia 100% nacional, desta empresa.... já não me lembro o nome... Baltiskaia... Baikal... enfim, da Yuganskneftegaz foi realizada de forma completamente legal", insistiu o presidente russo.

A operação permite ao Kremlin reforçar o controle sobre o setor energético russo e representa o fim da Yukos como maior produtora de petróleo do país.

Desde 2003, as autoridades russas vinham realizando uma ampla campanha - segundo analistas, motivada por interesses políticos - contra a Yukos, de quem cobravam dívidas fiscais milionárias. Os demais ativos da petroleira também serão leiloados pela Justiça para cobrir a dívida, enquanto Mikhail Khordorkovski, ex-proprietário do grupo e preso por sonegação de impostos, poderá ser condenado a pelo menos 10 anos de prisão.

"Seja quem for o comprador final, a companhia (Yukos) e seus acionistas irão questionar na Justiça o resultado do leilão e os direitos de propriedade dos acionistas da Yuganskneftegaz", disse à AFP o porta-voz da Yukos, Alexandre Chadrin. "Faremos isso tanto na Rússia quanto diante dos tribunais internacionais", acrescentou.

O conselho de fiscalização da holding russa Menatep, principal acionista da Yukos, considerou que a Baikalfinansgrup "é uma cobertura do governo russo", segundo um comunicado divulgado hoje. "A venda da Baikal à Rosneft (...) parece provar isso", acrescenta o texto.

Na entrevista de hoje, Putin questionou com firmeza a interferência de um tribunal americano no caso. "Sua sentença é absolutamente inadmissível do ponto de vista jurídico e internacional, e atenta contra a cortesia internacional, que não é uma obrigação moral, e sim legal, segundo o direito internacional", afirmou o presidente russo.
'
Enviando